DESCREVENDO A TEMPESTADE QUE ATINGIU ITAPICURU E OLINDINA

Olá amigos, por conta da ausência de eletricicidade em nosso município não tinha tido a oportunidade ainda de comentar o fato ocorrido no último dia 04/11/2012, mas agora eis que descreverei e opinarei com maior propriedade o que ocorreu neste dia que sem dúvidas entra para a história de Itapicuru, e olha que Itapicuru tem história!.



Cena de filme de ficção científica, sim, foi o que pareceu quando abri a porta de minha humilde residência no último domindo 04 de novembro de 2012 pouco antes da tempestade se iniciar, o que vi me lembrou o filme "Twister", sem exageros: abri a porta e deparei-me com um turbilhão de nuvens aglomerando-se umas sobre as outras e vindo em direção a Itapicuru acompanhadas de raios potentes, belos em intervalos de segundos; imediatamente tive a certeza de que algo muito forte iria acontecer aquele dia. Aproximadamente às 17:35 foi que a tormenta se iniciou, veio com tudo que tinha direito, muita chuva, muitos raios e trovões e o que ninguém em seus piores pensamentos imaginariam: ventos de mais de 85km por hora. Alie tudo isso a ausência de energia elétrica e pronto, temos o cenário perfeito para um filme estilo "O último dia depois de amanhã" (guardadas as devidas proporções obviamente). Confira a foto:


Provavelmente se o mês do acontecido fosse dezembro, os supersticiosos se ajoelhariam e clamariam salvação perante Deus, acreditando que os Maias acertara a previsão do fim do mundo para 2012, no entanto o mundo não acabou e pudemos testemunhar uma demonstração de força da mãe natureza. Durante a tempestade enquanto Geógrafo, procurei abrir a porta várias vezes, lançava a luz de uma lanterna no vácuo e tentava vizualizar, observar a proporção das coisas, a chuva era intensa e a escuridão total; a luz da lanterna não tinha força para adentrar a tempestade, porém os raios que rasgavam o céu a todo instante clareavam toda extensão que os olhos podiam alcançar, é simplesmente fascinante! Uma pausa apenas pra mencionar: se há um fenômeno da natureza o qual sou profundamente fissurado, são os raios. Bom, prosseguindo, após aproximadamente 1h de chuva e vento as coisas começaram a se acalmar, estávamos todos vivos (graças a Deus) e de volta a "idade da pedra", sem luz e sem comunicação, então só restava esperar amanhecer para vizualizar e (para outros) contabilizar os estragos.

Quando o dia amanheceu as pessoas puderam contabilizar os estragos. Vejam as fotos:






Pela manhã a visão que se tinha era essa: muros derrubados, casas destelhadas, casas no chão, antenas arrancadas, árvores arrancadas pela raíz, água invadindo as casas, lama, postes derrubados e um total de mais de 30h sem eletricidade. Quando vimos um cenário deste em Itapicuru e Olindina? Ainda bem que não tivemos vítimas fatais, algo que deve ser muito comemorado haja visto a dimensão do fenômeno, contudo, há de se mencionar o seguinte, o ocorrido (apesar da força incomum) é algo próprio da estação: as trovoadas são o que proporcionam que os rios e reservatórios se encham de água no nordeste. Sabemos que atualmente estamos passando por uma das piores secas das últimas décadas, portanto, acreditem, apesar dos estragos que foram causados a chuva sem dúvidas vai trazer mais benefícios que malefícios a população, principalmente na zona rural.

Nós devemos entender o tempo, respeitar e acima de tudo não querer competir com ele, nós somos pequenos perante a força da natureza, devemos olhar e aprender, fenômenos naturais existem desde que o planeta foi criado, cabe a nós estarmos cientes e fazer o possível para minimizar os efeitos que ele pode causar.

Postado por: Ronivaldo S. de Jesus

Um comentário:


  1. 07/11/2012 - Prefeito de Itapicuru tem contas rejeitadas por ultrapassar índice com pessoal

    As contas da Prefeitura de Itapicuru, sob a administração de José Moreira de Carvalho Neto, foram rejeitadas pelos conselheiros do Tribunal de Contas dos Municípios, em função da não redução de despesas com pessoal, dentre outras irregularidades comprovadas no exercício financeiro de 2011.
    A relatoria, embasada nas falhas apontadas no relatório, aplicou multas de R$ 46.800,00, correspondente a 30% dos subsídios anuais do gestor, em virtude de não ter promovido a redução do montante da despesa total com pessoal, e de R$ 10 mil pelas demais irregularidades contidas no parecer.
    O Executivo apresentou uma receita na ordem de R$ 40.413.510,52 e realizou um dispêndio no total de R$ 41.579.072,75, configurando o déficit orçamentário na quantia de R$ 1.165.562,23.
    Das obrigações constitucionais a gestão aplicou 26,12% na Educação, 60,95% dos recursos do FUNDEB na remuneração dos profissionais do magistério e 18,12% em Saúde, percentuais dentro do limite mínimo exigidos.
    Contudo, o fator que motivou essencialmente a rejeição das contas foi a reincidência no excesso de despesas totais com pessoal alcançando o percentual de 58,80% da receita corrente líquida, desobedecendo assim o limite máximo de 54%.
    Restou também caracterizado que a administração se omitiu quanto à cobrança de multas e ressarcimentos impostos pelo Tribunal, sendo atribuído ao gestor a responsabilidade da adoção das medidas pertinentes, sob pena de lavratura de termo de ocorrência.
    Cabe recurso.
    Íntegra do voto do relator das contas da Prefeitura de Itapicuru. (o voto estará disponível após conferência).

    ResponderExcluir

vitrine