Estado da Bahia registra aumento de 105% no roubo de cargas

Dados de um estudo da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), divulgados em evento realizado para lançar o Movimento Nacional Contra o Roubo de Cargas, apontam que, entre 2011 e 2016, este tipo de crime na Bahia cresceu de 215 para 441 casos (alta de 105%).
O aumento foi constante: 215 registros em 2011, 282 no ano seguinte, 298 em 2013 e um salto para 326 em 2014. No auge da crise financeira, em 2015, foram 436 saques, até chegar aos 441 casos registrados em 2016. Na Bahia, a via mais perigosa é a BR-242, que registrou 50 casos em 2016. É seguida pela BR-116 (26 ocorrências) e a BR-324 (25).
Carlos Bahia, assessor jurídico da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia (Faeb), destaca uma expansão na lista de produtos roubados. "Antes eram cigarros e eletrodomésticos, agora também buscam alimentos, especialmente os da cesta básica", revela.
O assessor afirma que "os roubos de madeira, grãos, gado e defensivos agrícolas tornaram-se os mais comuns na Bahia". Ele indica que há relatos de roubos de máquinas agrícolas e tratores nas propriedades.
Segundo informações da PRF, além dos produtos de limpeza e alimentos, fáceis de vender, a procura também é grande por pneus de caminhão. "Muitas vezes encontramos veículos abandonados e sem pneus. Eles custam até R$ 2 mil, cada", informa Freire. Do site da FIRJAN

Nenhum comentário

vitrine